Você está aqui: Página Inicial / notícias / Notícias do CRA-ACRE / Trabalho sem estresse

Trabalho sem estresse

por CRA publicado 06/05/2019 14h35, última modificação 07/05/2019 11h07

Pessoas viciadas em trabalho já não são vistas com bons olhos pelas empresas. Além de colocar a saúde em risco, funcionário que trabalha além da conta pesa no bolso. Veja como conciliar a carreira sem abrir mão da vida pessoal

 Por Ana Graciele Gonçalves

 A busca por resultados e a competitividade profissional são alguns dos fatores que tem levado várias pessoas a dedicarem horas a fio ao trabalho. Alguns, de tão comprometidos, são conhecidos como workaholics. O termo em inglês que designa as pessoas viciadas em trabalho, era moda até pouco tempo atrás. Contudo, as empresas passaram a encarar esse comportamento como um desequilíbrio prejudicial à saúde do funcionário e aos negócios.

Uma das consequências do excesso de trabalho é o estresse. De acordo com estudo recente realizado pelo LinkedIn, metade dos brasileiros sofre com esse problema atualmente. O estudo ouviu mais de 2,8 mil trabalhadores em todo o mundo, sendo que o Brasil atingiu o mesmo percentual de trabalho que o nível global, junto de Alemanha e Austrália (49%).

Para 70% das pessoas ouvidas pela pesquisa, a falta de equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é a maior causa do estresse. Em segundo lugar está a falta de confiança no futuro do emprego, com 64%. Para os trabalhadores brasileiros, inclusive, este é uma das principais origens desse mal.

Outra razão do estresse está, ainda, que o esforço emocional causado pelo relacionamento interpessoal e os “jogos políticos”. Segundo o coordenador de Recursos Humanos do Conselho Federal de Administração, Isaías Santos, a carga horária excessiva traz muitos prejuízos para a empresa. “Funcionários que faz horas extras custam caro não só do ponto de vista financeiro. O cansaço e o estresse comprometem a criatividade e o rendimento dos colaboradores, além de afetar a qualidade de vida. Isso favorece o aparecimento de diversas doenças e a incidência de licenças médica, com certeza, aumenta”, diz.

Por essa razão, para as empresas, o funcionário ideal passou a ser aquele que consegue conciliar a carreira com sua vida pessoal. “É possível ter um excelente desempenho no trabalho e ainda ter tempo para a família e o lazer”, afirma o administrador, lembrando que algumas empresas ainda cobram muito dos seus funcionários. “Não vejo isso como vantagem. Depois de 10 horas seguidas de trabalho, o rendimento do colaborador cai consideravelmente. Melhor trabalhar oito horas com qualidade do que 12 horas e ter a produtividade comprometida pela metade”, avalia.

Gerenciar o tempo – Muitos profissionais têm a carga horária de trabalho dobrada por falta de gerenciamento do tempo. De acordo com especialistas, a internet facilitou a vida das empresas, mas é uma das responsáveis pela queda de produtividade de muitos profissionais. “O hábito de checar e-mails com frequência, navegar em sites de notícias e pelas mídias sociais tornou-se um hábito. Se mal gerenciada, essa mania desvia nossa atenção, nos afastando das atividades do trabalho, obrigando-nos a estender o horário de trabalho”, alerta Isaías.

A dica é separar um momento do dia para checar e-mails e dar aquela espiada nas páginas de relacionamento pessoais como Facebook e Twitter. Nesses casos, a regra básica é ter bom senso.

Por traz do sucesso – Quanto maior o cargo na empresa, maior a cobrança. Por essa razão, muitos profissionais em posições de gerência trabalham o dobro, se afastam do lazer e do convívio familiar e, para darem conta do recado, abusam do uso de medicamento. Estudo da ePharma, empresa especializada em planos farmacêuticos corporativos, apontou que os executivos brasileiros consumiram mais medicamentos para ansiedade e depressão do que para outras doenças como diabetes e hipertensão.

Caminho para o bem estar – Segundo uma nova pesquisa publicada na revista científica Frontiers in Psychology, 20 minutos em contato com elementos naturais são suficientes para reduzir significativamente os níveis de cortisol, hormônio diretamente envolvido na resposta ao estresse.

Uma caminhada contemplativa no parque, por exemplo, ajuda o cérebro a recuperar a energia. A pesquisa analisou um grupo com 36 moradores de centros urbanos. Eles tinham que entrar em contato com a natureza pelo menos três vezes por semana, por um período de dez minutos ou mais. Os participantes poderiam fazer a contemplação sentada ou por meio de uma caminhada leve.

Trabalho na medida certa

 

Veja dicas do especialista para aumentar a produtividade sem ficar sobrecarregado no trabalho:

– Faça pausas curtas periódicas durante o dia. Alongue-se e beba bastante água;

– Praticar atividades físicas periódicas é bom para a saúde, além de aumentar a produtividade e a eficiência no trabalho;

– Reserve um período do dia (a hora do almoço é mais aconselhada) para visitar as páginas pessoais nas mídias sociais. O mesmo vale para os e-mails pessoais;

– Reserve, também, um período do dia para ler e responder os e-mails corporativos;

– Aprenda a dizer não com assertividade. Concentre-se nas atividades prioritárias e saiba negociar prazos;

– Não leve trabalho para casa e use os finais de semana para atividades de lazer. Evite, também, acessar e-mails profissionais nos dias de folga. Exceto em casos de extrema urgência. Do contrário, use esse dia para descansar;

– Faça uma autoavaliação. Ao perceber que a saúde está em risco, faça uma pausa;

– Mantenha um relacionamento harmonioso com os colegas de trabalho;

– Procure alimentar-se nos horários corretos e busque uma alimentação balanceada, pausada e sem correria.

Fonte: CFA

registrado em:
Publicações

rbacover.jpg

boletim.jpg

Livro_Ramos.jpg

Pesquisa.jpg

Outras publicações [+]